“Brasileiros não querem adotar crianças com mais de três anos”, diz a Presidente da ADFAS

Especialista em Direito de Família conversou sobre o tema “O que deveria ser mais fácil quando o assunto é adoção?”

 

É fato que toda a criança precisa de uma família para ser feliz! Sob o comando de Gislaine Martins e Ricardo Sam, o programa 2 em 1 desta terça-feira (08/11), conversou com a advogada especialista em Direito de Família, Regina Beatriz Tavares da Silva. A convidada explicou um pouco mais sobre o complicado processo de adoção no Brasil, e “O que deveria ser mais fácil quando o assunto é adoção?”

A Presidente da Associação de Direito de Família e das Sucessões – ADFAS contou que o maior problema de adotar é a idade da criança. “Existem sete mil órfãos prontos para adoção atualmente, e 38 mil interessados no Brasil. Elas já deveriam estar adotadas, porém não estão porque quem quer adotar, quer crianças com menos de três anos. A verdade é esta: Brasileiros não querem adotar crianças com mais de três anos”, enfatizou. “Apenas cerca de mil tem essa idade, além disso, muitos têm irmãos e alguns são doentes, o que complica ainda mais o processo”, completou Regina.

Segundo a advogada, a adaptação é outro fator que dificulta. “A criança com menos de três anos é mais flexível na personalidade do que uma mais velha. Por isso, quanto mais velha, mais difícil é a adaptação por ambas as partes. Há o receio, o medo do que vai acontecer e se terá alguma rejeição”, explicou.