CIJ divulga Programa de Apadrinhamento Ser Humano em reunião do Projeto Acalanto Sergipe.

No dia 17 de setembro, a Juíza Coordenadora da Infância e da Juventude, Isabela Sampaio Alves Santana e o Psicólogo Sergio Lessa Alves ministraram palestra sobre o Programa de Apadrinhamento Ser Humano, no encontro “Conversando sobre Adoção”, promovido pelo Projeto Acalanto Sergipe.

Na exposição, foram divulgados os resultados das reavaliações da medida de acolhimento institucional em Sergipe – período 2010 / 2016; o perfil atual das crianças e adolescentes que convivem nas Unidades de Acolhimento sergipanas; os procedimentos e as modalidades do Programa de Apadrinhamento Ser Humano e as diferenças entre o Apadrinhamento Afetivo e a Adoção.

A Juíza Isabela Sampaio Alves Santana sensibilizou os participantes do encontro acerca do fato de que, além da adoção, os apadrinhamentos nas modalidades provedora, colaboradora e afetiva são importantes alternativas para prestação de auxílio às crianças e adolescentes em situação de acolhimento, especificamente aquelas com reduzida possibilidade de reintegração familiar ou colocação em família substituta. Alguns pedidos de apadrinhamento foram preenchidos na ocasião do evento, bem como a Juíza Coordenadora convidou todos para participarem do VIII Encontro Interativo do Programa de Apadrinhamento Ser Humano, no decorrer do mês da criança, doando presentes e/ou promovendo confraternizações nos Abrigos Institucionais e Casas Lares de Sergipe.

Os participantes da reunião também foram informados sobre a possibilidade de efetuarem a inscrição “on-line” no Programa de Apadrinhamento Ser Humano (clique aqui para se cadastrar) e algumas das demandas de apadrinhamentos encaminhadas à CIJ pelos Juízos com Competência em Infância e Juventude, as quais, em breve, também passarão a ser divulgadas no Portal da Infância.

O evento contou com a participação de associados, voluntários e freqüentadores das atividades do Projeto Acalanto Sergipe, uma associação sem fins lucrativos, criada em 2015, com o objetivo de promover atividades relacionadas à prevenção e atendimento a crianças e adolescentes acometidas pelo abandono e o incentivo à cultura da adoção.