Famílias se renovam via adoção

Se você tem interesse de adotar uma criança, não perca tempo: dirija-se à 1ª Vara da Infância e Juventude de Salvador, onde 56 crianças e adolescentes, entre 3 e 17 anos,  aguardam pela oportunidade de ganhar uma família que lhes der um lar, amor e educação.  Com seus documentos em mãos e demonstrando ter condição de assumir esta responsabilidade, você poderá sair de lá com uma vida que certamente dará um novo sentido à sua.

Conforme o juiz de Direito Walter Ribeiro Costa Junior, que há quatro anos conduz as ações da 1ª Vara da Infância e Juventude da capital, aumentou o número de pessoas interessadas em adotar uma criança. “Está havendo uma mudança de mentalidade com relação adoção. Hoje temos 355 famílias habilitadas e 56 crianças disponíveis. O problema é que ninguém quer crianças acima de cinco anos, que sejam portadoras de enfermidades crônicas e negras”, ressalta.

O magistrado observa que “há uma tendência para a escolha de crianças brancas, até dois anos, com semelhanças físicas de quem adota, para mostrar aos amigos, à sociedade. A gente não consegue chegar aos interessados com facilidade. O que se busca no processo de adoção é o melhor de interesse da criança”, pontua.

Algo que dificulta a adoção também, segundo  Walter Ribeiro, é “o mito com relação ao tempo do processo, que muitos acreditam ser preciso ter um advogado, ser extremamente burocrático, com filas intermináveis. Uma vez esclarecidos os itens necessários, há celeridade para a conclusão da adoção”, esclarece.  O perfil dos que mais adotam aponta para pessoas com mais de 40 anos e situação profissional e financeira segura.  Antes, porém, é preciso passar por uma entrevista que pode durar um dia, que inclui até avaliação psicológica. Aprovada a doação, em muitos casos esta ocorre com estágio de convivência acompanhado por técnicos durante um determinado período.

O juiz diz perceber avanços na questão da adoção, particularmente no segmento de relações homoafetivas. “Não perguntamos sobre a sexualidade dos interessados em ter uma criança em casa. Nós entendemos que isto é de menos valia frente ao interesse da criança”, conclui. Os interessados em uma das crianças disponíveis podem comparecer à 1ª Vara da Infância e Juventude de Salvador, localizada na Rua Agnelo Brito, 72, na Garibaldi, ou ligar para o nº ( 71) 3203.9306.